Dra Fernanda Philippi | Polipectomia | Cirurgia Pólipos Nasais Florianópolis
A polipectomia é indicada para pacientes nos quais o principal objetivo do tratamento seja a ressecção dos pólipos nasais que estejam causando muitos sintomas clínicos.
15490
page-template-default,page,page-id-15490,page-child,parent-pageid-15311,ajax_fade,page_not_loaded,,qode-theme-ver-10.1.1,wpb-js-composer js-comp-ver-5.0.1,vc_responsive
 

Cirurgia para Polipose Nasal ou Polipectomia

Cirurgia para polipose nasal – Polipectomia – Dra. Fernanda Philippi

A polipectomia é indicada para pacientes nos quais o principal objetivo do tratamento seja a ressecção dos pólipos nasais que estejam causando muitos sintomas clínicos.

O que são pólipos nasais?

Pólipos nasais são caracterizados por pequenos crescimentos de tecido inflamado na parede de revestimento do nariz e/ou dos seios paranasais, gerando saliências dentro destes locais. Podem causar obstrução nasal, redução no olfato (hiposmia) e até rinossinusites. Em alguns casos, pode ser indicado o tratamento cirúrgico para a polipose nasal.

Como é realizada a polipectomia?

A cirurgia de polipectomia (ressecção dos pólipos) usualmente é associada à sinusectomia endoscópica (abordagem dos seios da face), já que é muito comum que os seios da face também estejam acometidos pelo processo inflamatório subjacente.

A ressecção dos pólipos pode ser realizada de diferentes maneiras: com o auxílio de endoscópios (cirurgia por vídeo), através de pinças específicas e com o auxílio de microdebridadores.

Da mesma forma que nas cirurgias de septoplastia, turbinoplastias e sinusectomias, desde o advento da cirurgia endoscópica (por vídeo), a necessidade de se utilizar tampão nasal no pós-operatório diminuiu expressivamente, o que tornou o período de pós-operatório menos incômodo ao paciente.

Isso acontece porque na cirurgia endoscópica é possível ter um controle muito mais acurado das regiões com sangramento e cauterizá-las de maneira direta ou controlar o sangramento com o auxílio de alguns materiais hemostáticos.

Em caso de sangramentos mais importantes no intraoperatório, o cirurgião poderá optar por deixar algum tampão nas cavidades nasais do paciente por poucos dias, visando sua segurança.

A cirurgia não tem objetivo curativo, sendo necessário o acompanhamento médico e a continuidade do tratamento clínico pelo paciente, pois existe a possibilidade de recidiva dos pólipos nasais, especialmente nos casos em que exista a presença de asma ou intolerância a ácido acetilsalicílico.

Naturalmente cada caso é diferente do outro, e precisa ser avaliado pelo médico otorrinolaringologista para que seja proposto o melhor tratamento de forma individualizada.

WhatsApp
Enviar